quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Endocrinologista

Relacionamento, “modelo mal resolvido”, que tem o rebento o qual pede a união dos progenitores.
Ex-marido (amargurado) modelinho roubada (coitada da pobre vitima que se envolve com o ser humano), que pega o filhote para os fins de semana e telefona para a ex-mulher praticamente todos os dias. E não se apega a mais ninguém por desilusão amorosa, esporadicamente ele pega uma ou outra desavisada para suprir suas necessidades masculinas e descarta as coitadas (tipo... Copinho descartável).
Ex-mulher (depressiva) modelinho encrenca (nada interesseira, que não se preocupa com bens matérias, coitada) telefona incisivamente no final de semana que o filhote passa na companhia do progenitor, para saber se o rebento está recebendo tratamento adequado, quer saber quantos puns o garotinho soltou. Eterna vitima indefesa e solitária, desprovida de seus sonhos por conta da terrível desilusão amorosa (e/ou financeira).
Porém, após determinado tempo de separados... Sem compromisso aparente com outros seres humanos, (ela nega os boatos de um affair na igreja evangélica onde a coitada foi buscar apoio para a lasciva solidão que acomete seus dias), digamos que por única e exclusiva culpa da difamada sogra.
A sogra em questão é a mãe da ex-mulher. É a sogra sado masoquista. A dominadora (ela acaba com a própria vida, caso a filha reate com o ex-marido), invade a privacidade do casal, palpite distribui furtivamente. Não admite o enlace da filha com um ser humano desprovido de atributos financeiros! Criou a filha com tanto esmero para que sua princesinha se tornasse rainha e não plebéia.
O casal de obesos (que foram namorados belos e saudáveis, dentro das medidas recomendáveis), acredita que buscando tratamento com médico endocrinologista talvez exista a salvação para a relação.
Provavelmente com a situação financeira estabilizada (com bom rendimento financeiro), corpinho de atleta e toda dedicação e carinho (carro zero) que um pai e esposo apaixonado podem oferecer (presentes importados, viagens, casa de luxo... tarará, tarará!)... A relação decole (após o tratamento com endócrino, regime, dieta balanceada, exercícios físicos, antidepressivos), pois o casal vai estar leve!
Quem sabe o rapaz seja induzido a aceitar o senhor supremo (ela está investindo em religião) e se torne digno (nada de errado abdicar do fumo, do álcool, da cafeína, dos prazeres mundanos e afins...) reestruturando a sua família.
Os ambientes ficaram agradáveis com a presença do casal feliz e leve. É exaustivo tolerar as antipatias e amarguras dos fofinhos desiludidos (dizem que todo gordinho é simpático, agradável e feliz... Detalhe básico, salvo rara exceção do casal fofinho).
Endocrinologista também é cupido!
P.S. Dinheiro é sinonimo de união matrimonial e de sogra mansa...

Nenhum comentário:

Postar um comentário