quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Mau humor

Honestamente, me escondo dentro do meu quarto e me dedico exclusivamente às minhas atividades fúteis, mas a ironia do meu momento é que eu não preciso de um tempo sozinha... Adoro ter vida social intensa e mexer o esqueleto!
Nesta semana,uma amiga teceu o "comentário" - Você está morando na selva, precisa voltar para a civilização.
Então,eu percebi que as minhas amigas recusam meus convites (delicadamente),esquivando-se de visitar a minha casa,por eu morar no campo, em contato com a natureza.
Porém, tem dias que,por mais que eu encare a realidade com esperança,por mais que eu tente expor alguns sentimentos enlatados e algumas opiniões superficiais (evitando constrangimentos), eu simplesmente não consigo.
AS sentenças soam incoerentes,tolas,descabidas...Eu deveria me resignar ao silêncio... Mas... Eu insisto em dizer o que não é necessário ser dito. Persisto em evidenciar o sentimento de insuficiência e mediocridade que me perseguem nos últimos tempos...
Cada dia torna-se mais pesado,sinto-me presa dentro dos limites que eu demarquei,aprisionada em um corpo que desgosto por sua constante carência... Desprovida de talentos, sem convicções, sem ideias decentes,sem objetivos concretos e possíveis, sem reais interesses,sem nada para acrescentar.
Não existe nenhum bloqueio que impede a expressão do que eu tenha de bom...Pois, eu simplesmente não possuo atributos bons.
Sou apenas um ser humano comum, descartável... Que vêem empurrando literalmente a vida com a barriga,aceitando a indiferença como caracteristica minha para usar como desculpas para qualquer falta de reação.Não sou boa em absolutamente nada,e não tenho a decência de ser ruim.
Eu sinto uma lacuna.Dizem que o tempo cura essa sensação,mas eu não consigo sucumbir a está noção simplista.Todo mundo fala o que quer,mas nada é tão simples...Não estou nesta posição porque decidi não me envolver na atmosfera de quem eterniza sentimentos efémeros e olha para o outro lado quando a paisagem não é agradável.
Conselhos de seres humanos cara de pau que não encontraram a trilha que gostariam de ter percorrido,vão entrar por um ouvido e sair pelo outro.Pois, eu não encontrei e não vou simular satisfação e felicidade incondicional.Eu me sinto perdida.
Eu não consigo dissimular um interesse o qual é desinteressante... Não consigo ser simpática quando pretendo vomitar...Meus limites foram instaurados e para ultrapassá-los não pretendo construir absolutamente nada em cima das expectativas alheias.
A tpm(mau humor,aff) não permite que um sentimento de estúpida esperança aflore para preencher esse vácuo.Mas, eu constatei que a frustração de morar na selva é sem propósito,e eu necessitava manifestar minha indignação neste dia decadente e ocioso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário