terça-feira, 13 de julho de 2010

Vai lá

A palavra compreensão é muito legal... É boa, assemelha-se a boba. E tem como fiel amiga a tolerância... Outra palavra sempre bem vinda, realmente muito querida.

Porem... Muitos seres humanos se esquecem da palavra limite que soa de forma espetacular aos ouvidos dos mais desatentos. Pois, ensina que tudo depende do amigo bom senso. E por fim não permite que o egoísmo prevaleça como senhor supremo de todas as palavras que nos orientam.

Eu adoro ser útil, ser legal, ser boa samaritana, compreensiva, tolerante e prestativa. Mas... A política da convivência decente não permite que eu me perpetue santa! Ainda prefiro o calor do inferno! Sou louca, neurótica, problemática, traumatizada, carente e eu sou um ser humano! É inóspito tratar do assunto, mas eu tenho sentimentos normais... Kkk...

Existem locais adequados para enviar seres humanos desorientados, que podem ser guiados através de bussolas, GPS, mapas ou até mesmo por palavras bem básicas e de baixo calão.

Vai lá! Vai!

domingo, 11 de julho de 2010

Claro que não funciona

Estou ilhada no sentido figurativo da palavra. O isolamento é fiel companheiro. As lembranças do habitat natural são carregadas de saudosismo.

As idéias que povoam o meu pequeno espaço cerebral são inúmeras. Porem, o tempo disponível não é o suficiente para organizar e expor as divagações e os devaneios que me atordoam.

E o principal é que eu tenho internet Claro 3G E NÃO ESTÁ DEVIDAMENTE FUNCIONANDO!

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Ser humano infeliz

Existem entre os seres humanos diversos tipos de seres com aparência similares a de seres humanos... Porem, não é coerente igualar seres mesquinhos, maldosos, fofoqueiros, maledicentes, invejosos e incoerentes a seres humanos. Seres desqualificados profissionalmente, seres desprovidos de beleza e de alegria, seres desocupados que não tem perspectiva de vida. Seres que não tem a opção de saborear atitudes de carinho, companheirismo e amizade. Seres que invadem o nosso cotidiano e não possuem capacidade de evolução em nenhum sentido. Seres inócuos que desperdiçam a oportunidade de amar e serem amados. Seres sem brilho!

O ser humano infeliz é este tipinho o qual não usufrui da maravilha que é ter vida!